Weintraub é condenado a pagar indenização de R$ 40 mil a professores universitários


Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação, foi condenado pela Justiça Federal em Minas Gerais por suas declarações contra as universidades públicas. Ele pagará indenização de R$ 40 mil por danos morais coletivos aos professores representados pelo Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (Apubh).


Em novembro de 2019, enquanto era ministro, Weintraub afirmou publicamente em entrevista ao "Jornal da Cidade”, que as universidades federais têm plantações ‘extensivas’ de maconha e que havia produção de drogas sintéticas nos campi.


Na época, a ADUnB apresentou representação contra Abraham Weintraub ao Ministério Público Federal, para apuração sobre as graves declarações que ofendem as Universidades Federais perante a opinião pública e também suas críticas aos salários dos docentes.


O ministro declarou, durante o 21º Fórum Nacional de Educação Superior Particular (26/09/2019), que “o problema do ensino superior brasileiro é que a gente gasta uma fortuna com um grupo muito pequeno de pessoas, e que essas despesas são hoje a principal preocupação da pasta”.


Nas palavras do ministro, era preciso ir “atrás de onde está a zebra mais gorda, que é um professor de uma Federal, com dedicação exclusiva, ministrando oito horas de aula por semana e ganhando de R$ 15 a R$ 20 mil por mês”.


O pedido da ADUnB ainda aguarda análise da Procuradoria Geral da República.


Posts recentes

Ver tudo