Unidade e luta

Mobilização para derrotar o projeto de sucateamento dos serviços públicos

Na última terça (13), centenas de trabalhadores ecetistas, movimentos populares, dirigentes sindicais, parlamentares e manifestantes protestaram, em frente ao edifício sede dos Correios, em Brasília (DF), em luta e unidade contra a privatização da estatal e a agenda de desmonte empreendida pelo Governo Federal.


Em meio à pandemia do coronavírus, quase 100 mil trabalhadores dos Correios correm risco de ficar desempregados por conta do PL 591/2020, que, se aprovado, vai autorizar a privatização da estatal.


A prestação de serviços dos Correios chega à população de mais de 5 mil municípios, integrando todas as regiões do país. Em 2020, os Correios geraram lucro de R$ 1,5 bilhão, contrapondo a mentira usada pelo governo de ser uma empresa que pesa aos cofres públicos.


Enquanto o projeto do governo for entregar o patrimônio do povo em benefício da iniciativa privada, trabalhadores seguirão em luta, mobilizados e resistentes nas ruas para derrubar a política entreguista defendida pelo atual governo.


Participação da ADUnB


Representando a ADUnB, a dirigente e professora Eliene Novaes fez um discurso reforçando a importância da unidade entre as categorias que vêm sendo atacadas pelo governo e da necessidade dos trabalhadores permanecerem mobilizados e em luta para derrotar o projeto de sucateamento dos serviços públicos em favor da privatização dos mesmos, como nos casos dos Correios, da Eletrobrás e de outras empresas que garantem direitos e dignidade a toda população do país.


* Foto: Luiz Rocha