UnB segue como universidade mais empreendedora do Centro-Oeste

Na oitava posição nacional, Universidade destaca-se nos quesitos inovação, extensão e internacionalização


Em 2019, a Universidade de Brasília manteve-se entre as universidades que mais se destacam no campo do empreendedorismo no Brasil. O levantamento é da Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior). “Esse resultado é associado a toda a comunidade acadêmica, e o mérito é também dos professores tutores das empresas juniores, que potencializam ainda mais a ação de aprendizado”, considera a diretora do Parque Científico e Tecnológico (PCTec/UnB), Renata Aquino.

Com empresas, parque tecnológico e decanato dedicado ao tema, CDT é a casa da inovação na UnB. Foto: Beto Monteiro/Secom UnB

Para consolidação do ranking, quesitos como inovação, extensão, cultura empreendedora, internacionalização, infraestrutura e capital financeiro são avaliados por gestores de empresas juniores que atuam na instituição. Eles consideram, principalmente, se a universidade está inserida em um ecossistema favorável à qualidade da comunidade acadêmica e se há relação entre a instituição e o desenvolvimento que ela provoca na sociedade.


No Centro-Oeste, a UnB foi imbatível em extensão e internacionalização. Em inovação, é a terceira melhor federal do Brasil, atrás apenas das instituições do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais. Considerando-se as regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, a Universidade de Brasília é a mais bem colocada. “Nas regiões Sudeste e Sul, principalmente nos arredores de São Paulo e Minas, a industrialização e a economia contribuem para o resultado”, pondera Aquino.


Em novembro, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Universidade aprovou a sua Política de Inovação. O texto final deve ser levado em breve ao Conselho Universitário (Consuni). A expectativa é que, a partir da entrada em vigor, o relacionamento com empresas juniores e incubadas seja ainda mais aperfeiçoado.


“É possível perceber o impacto dessas empresas quando se observa grandes organizações sendo formadas ou geridas por pessoas que são egressas da UnB”, opina o diretor de relacionamento da Federação das Empresas Juniores do Distrito Federal, Vinícius Concentro. Para ele, o aprendizado do estudante é muito influenciado pelo modelo de universidade empreendedora e alguns cursos são potencializados por essa vertente.


Segundo dados do último Relatório de Gestão da UnB, há 38 empresas juniores em funcionamento na instituição. Além destas, há 22 empresas incubadas no Hotel de Projetos, programa de pré-incubação oferecido pelo PCTec.


Quase 60% das empresas incubadas foram objeto de estudo em disciplinas como Empresa Júnior 1 e 2, Introdução à Atividade Empresarial, além de atuar no Inovatech, evento de inovação da Universidade promovido pelo Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT) e o Decanato de Pesquisa e Inovação (DPI). Outra iniciativa da UnB é a Feira de Negócios e Inovação, que neste ano chegou à nona edição.


BOA PRÁTICA O ranking 2019 de universidades empreendedoras ressalta também o importante passo dado pela Universidade de Brasília ao instituir, em 2018, o Programa Parceiros da UnB, que permite o recebimento de doações por parte da instituição.


"Os donativos podem ser não só em dinheiro, mas também em bens ou serviços, como computadores, produtos para reformas e até mesmo tempo e mão de obra. A UnB é a segunda universidade avaliada pelo Índice a conseguir implementar a iniciativa, ainda rara no Brasil, que antes apenas contava com a Universidade de São Paulo", informa o texto da publicação.


Por Thaíse Torres/Secom UnB.

Links Úteis