UnB é nota máxima na avaliação do MEC

Ministério reconhece excelência da Universidade em processo de recredenciamento institucional



A Universidade de Brasília foi avaliada com a nota máxima – cinco – no processo de recredenciamento institucional que analisa o funcionamento e a qualidade acadêmica da instituição de forma ampla e detalhada. O resultado foi divulgado no final da semana passada pelo Ministério de Educação (MEC). Dos 48 itens avaliados, a UnB recebeu nota máxima em 45. O processo de recredenciamento da UnB vem ocorrendo desde 2018. A nota máxima recebida é o reconhecimento da qualidade da Universidade e do cumprimento da missão institucional. É também fruto do trabalho de cada membro da comunidade universitária. “Recebemos o resultado com grande alegria, porque ele comprova a excelência de nosso trabalho em todas as áreas acadêmicas e administrativas. Essa é uma conquista da comunidade da UnB, que mostra mais uma vez para a sociedade a qualidade do serviço prestado à sociedade, que nos financia”, ressalta a reitora Márcia Abrahão, reconhecendo o esforço de todos os envolvidos. O recredenciamento faz parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) – Lei nº 10.861/2004, que visa atender ao princípio constitucional da garantia de padrão de qualidade, previsto no art. 206, inciso VII da Constituição Federal de 1988. A submissão à avaliação, realizada nas instituições de ensino superior, é condição para a continuidade da oferta de cursos. A UnB jamais tinha passado por esse processo, que depende de solicitação no sistema e-MEC. O conceito obtido terá validade por dez anos.

A decana de Planejamento, Orçamento e Avaliação Institucional (DPO), Denise Imbroisi, compartilha da visão de que a nota alcançada representa o coroamento do empenho da comunidade acadêmica para tornar a instituição referência. O decanato foi uma das unidades responsáveis pela condução das ações para encaminhamento do processo. "Durante a trajetória da UnB de quase 60 anos, e durante esse longo processo de recredenciamento, ficou evidenciado o comprometimento de nossa comunidade universitária – alunos, professores e técnicos administrativos – com a sociedade brasileira no sentido de ofertar ensino de incontestável qualidade, pesquisas científicas de ponta e serviços de extensão que buscam alcançar toda a comunidade do DF e entorno", observa Denise Imbroisi. A decana reforça que, no momento em que Brasília completa 60 anos, "a UnB tem orgulho de poder contribuir de forma tão brilhante com essa cidade que nos acolhe de forma tão carinhosa". PROJEÇÃO A avaliação é conduzida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e considera os cinco eixos avaliativos contemplados pelo Sinaes. Na UnB, uma comissão intersetorial, liderada pelo DPO e pelo Decanato de Ensino de Graduação (DEG), foi formada para atender às demandas do recredenciamento. O grupo foi responsável por fornecer informações, responder questionário enviado pelo MEC, reunir documentos comprobatórios das políticas e ações da instituição nos últimos cinco anos, além de acompanhar a visita in loco realizada por avaliadores do Inep em março de 2020. “A comissão trabalhou duro e esteve disponível antes, durante e depois da visita in loco. Todo mundo vestiu a camisa para dar conta do recado”, enfatiza o técnico em assuntos educacionais e procurador educacional institucional do DEG, Danilo Prata. Ao longo do processo, a Universidade mostrou como seu planejamento e autoavaliação, suas ações de desenvolvimento institucional, suas políticas acadêmicas e de gestão e sua infraestrutura – eixos da avaliação – levam a UnB a oferecer ensino de graduação e de pós-graduação, pesquisa, extensão e inovação de excelência. A UnB projetou-se com nota máxima em três eixos e aproximou-se do conceito cinco em dois (veja o gráfico abaixo). Tal desempenho é consequência do alto nível do corpo discente, docente e técnico, além do êxito obtido nas metas e nos objetivos estabelecidos em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI); nas políticas de ensino, pesquisa e inovação – a exemplo dos programas de tutoria e monitoria e de Aprendizagem para o Terceiro Milênio (A3M); nos editais de apoio aos discentes em atividades acadêmicas e nas políticas de assistência estudantil. No âmbito do planejamento institucional, o PDI 2018-2022 e seu alinhamento com as políticas institucionais para o ensino, a pesquisa e a extensão foram quesitos essenciais para a pontuação final no processo de recredenciamento. O Relatório Final do Inep, com 74 páginas, também destacou a política e as práticas de inovação tecnológica e de desenvolvimento artístico e cultural, a inclusão social, o incentivo ao esporte, o respeito à diversidade, o compromisso com a cidadania e a sustentabilidade socioambiental. Também contribuíram para o conceito a projeção da interação com a comunidade do Distrito Federal e cidades do entorno por meio de projetos de extensão, os estímulos à produção acadêmica de docentes, técnicos e discentes e a consolidação do Plano de Internacionalização da UnB. ESTRUTURA DE QUALIDADE Apesar de não ser um dos eixos com nota máxima, a evolução na qualidade da infraestrutura, que inclui salas de aula, laboratórios, auditórios espaços de convivência, biblioteca, salas de informática, Centro Olímpico (CO), Restaurante Universitário (RU), entre outras instalações onde são recebidas diversas atividades, é mérito alcançado pela instituição nos últimos anos. “Nas visitas in loco, os avaliadores verificaram que esses espaços estão altamente qualificados para o desempenho das atividades do ensino de graduação. Não temos só professores excelentes, mas um ambiente com ótima infraestrutura”, confirma o decano de Ensino de Graduação, Sérgio de Freitas. Destacam-se ainda como critérios elencados as políticas para capacitação e formação continuada de docentes e técnicos administrativos, de acompanhamento de egressos, a acessibilidade da instituição, a Biblioteca Central (BCE), a sustentabilidade financeira e a conectividade nos campi. O procurador educacional institucional Danilo Prata salienta que, mesmo com os resultados exemplares alcançados, a instituição ainda tem muito a avançar. “A avaliação é um retrato da instituição neste momento. Vamos continuar melhorando em cada um desses indicadores”, afirma.


Com Nair Rabelo e Serena Veloso da Secom/UnB

Links Úteis