Um mundo para todos? Professor debate discursos dos Direitos Humanos na ADUnB. Veja o vídeo.

Atualizado: 29 de Out de 2019


Queremos um mundo em que caibam todas as pessoas? Queremos ser protagonistas do nosso próprio destino ou delegaremos aos outros a significação de nossas vidas? Com essas perguntas o professor David Sanchéz Rubio (Universidade de Sevilha) abriu na quarta (16), na ADUnB, a palestra "Alguns Demônios e os Direitos Humanos no Contexto da Globalização". Ele debateu discursos dos Direitos Humanos a partir da proposta de resignificação de ideias, instituições e conceitos para o enfrentamento das lutas contemporâneas.


O tema da palestra era provocativo, segundo o palestrante, para discutir os desafios dos Direitos Humanos em um contexto de globalização onde a humanidade e a natureza estão em perigo. "Agradeço por abrir espaço de reflexão, diálogo e retroalimentação em um contexto de um momento global de significação e resignificação das instituições, ideias e conceitos, que são fundamentais para saber se queremos um mundo em que caiba todo mundo ou um mundo onde caibam poucos, em uma lógica excludente", disse.


A partir do exemplo do personagem Thanos, da sequencia de filmes Os Vingadores, o professor elencou cinco posições sobre Direitos Humanos para compreender e enfrentar a realidade mundial, além de espalhar a cultura dos Direitos Humanos. "Em nível global não existe essa sensibilidade por Direitos Humanos, existe pouco, acho que temos que fomentar e potencializar".


Ele analisou os discursos que chamou "cínico", "cético", "garantista", "propositivo" (multigarantista) e de "interculturalidade". No filme, os super-heróis tentam impedir Thanos de cumprir sua promessa de dizimar metade da população da Terra para trazer equilíbrio para o universo.


"Thanos tem uma filosofia, uma forma de entender direitos humanos onde a metade da humanidade tem que se extinguir. A outra metade pode sobreviver. Os super-heróis o confrontam como se fossem os salvadores da humanidade, mas em um contexto de guerra contínua, com as pessoas sumindo em meio a essa luta. Parece que o fim justifica os meios com essa maneira messiânica de defesa dos super-heróis", contou.


A partir desse exemplo, o professor se aprofundou sobre a capacidade da sociedade de reivindicar seu protagonismo da história, passando por temas como a passividade; a imposição da "especialização", como na economia, onde os técnicos são os únicos legitimados para instituir a "realidade"; a indiferença que se espalha em relação ao sofrimento humano; a incapacidade de reagir; a crítica à democracia representativa, dentre outros.


Rubio é professor Sênior, Diretor do Departamento de Filosofia da Faculdade de Direito da Universidade de Sevilha. Foi coordenador e diretor de vários cursos de mestrado e doutorado na Universidade Pablo Olavide de Sevilha e na Universidade Internacional de Andaluzia. Foi diretor e membro de pesquisa de projetos de Excelência.


A palestra foi transmitida ao vivo pelo Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (Ceam/UnB). Acesse o vídeo completo na página do Facebook do CEAM.


Realização e apoio


Aberta a o público, a mesa palestra contou com a presença da Professora Vanessa Maria de Castro do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (Ceam/UnB), da professora Sinara Pollom Zardo (FE/UnB), vice-coordenadora do Programa de Graduação em Direitos Humanos da UnB, da professora Rebecca Lemos Igreja (FD/UnB) e do professor e diretor da ADUnB José Mauro Barbosa. O presidente da ADUnB, Luis Antônio Pasquetti, também esteve presente.


O evento é uma realização do Programa de Graduação em Direitos Humanos em parceria com a ADUnB e o apoio da Faculdade de Direito da UnB, Colégio Latino Americano de Estudos Mundiais e do Flacso - Brasil.


Veja as fotos em nosso Flickr




VÍDEO COMPLETO DA PALESTRA





Links Úteis