Solidariedade à UFG


Pela vigésima segunda vez, o governo Bolsonaro desprezou a autonomia universitária ao não respeitar o resultado da consulta pública da comunidade acadêmica para eleição da reitoria da Universidade Federal de Goiás.


O pleito foi vencido por ampla maioria (3.629 votos) nos três segmentos – docentes, discentes e técnicos – pela Profª Dra. Sandramara Matias Chaves, o resultado foi referendado pelo Conselho Universitário (CONSUNI), mas o presidente da República nomeou a terceira colocada, Profª Dra. Angelita Lima, cuja reconhecida trajetória acadêmica é digna de todo o respeito, mas o que se condena é a interferência do governo em um processo democrático de fato, assegurado pela Constituição Federal.


A ADUnB manifesta a sua solidariedade à reitora eleita, à reitora nomeada e a toda comunidade acadêmica da Universidade Federal de Goiás.