Resistir sempre, lutar como nunca





Prezado(a) Docente


Nesses 43 anos de sua história, a ADUnB cumpriu o seu papel institucional e político de participar de todas as lutas pelos direitos e para a dignidade da categoria docente. Houve conquistas e derrotas, e todas serviram para renovar nossas forças e ampliar nossa experiência e nossa criatividade estratégica para as lutas seguintes.


Acreditávamos, até então, que nenhuma das lutas exigiu – e exigiria – mais de todos nós, docentes e dirigentes de todas as gestões da ADUnB, do que a luta travada contra a ditadura militar, quando, além de direitos e dignidade da categoria docente, se fez necessária a defesa também da liberdade de expressão, das liberdades individuais, da pluralidade de ideias, dos direitos humanos e da integridade moral e física de cada companheiro(a), de todos os segmentos da sociedade civil, participante da resistência a todas as formas de imposição de atraso e indignidade para muitos que garantissem privilégios e lucros para os poucos de sempre. Ainda em dias atuais, somos conclamados a resistir e lutar por direitos.


Continuamos em luta pela vacinação gratuita para todos e todas. Sobreviver é a mais poderosa forma de resistência para que, depois, em nossas lutas pelos direitos e dignidade da categoria à qual pertencemos e representamos, à memória dos fundadores da ADUnB respeitada em nossas diretrizes e ações seja agregada a memória de cada docente e cada servidor(a) vitimado(a) por um projeto político genocida.


Sobrevivemos às lutas do passado, sobreviveremos a mais esta.


Assista a mensagem da Diretoria