Nota ANDES-SN | Repúdio à criminalização da luta em defesa de ocupação popular no DF

NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN DE REPÚDIO À CRIMINALIZAÇÃO DA LUTA DO(A)S ESTUDANTES CAIO SAD, THIAGO ÁVILA, ÉRIKA OLIVEIRA E PEDRO FELIPE. EM DEFESA DA OCUPAÇÃO POPULAR DESTITUÍDA POR ORDEM DO GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL





No último período, o processo de criminalização e perseguição aos movimentos sociais, estudantil e docente tem se intensificado. Marcado por medidas arbitrárias e punitivistas segue-se uma sequência de prisões, abertura de processos administrativos ou penais contra aquele(a)s que enfrentam e se contrapõem à política genocida em curso no país, que, especialmente em meio à Pandemia da COVID-19, segue a vitimar milhares de brasileiro(a)s.


Nessa linha, o Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, em um ato de injustiça e crueldade com pessoas em situação de vulnerabilidade social, ordenou a destruição de uma ocupação popular no dia 07 de abril de 2021. Diante de tal crueldade, o estudante Caio Sad, Coordenador Geral da Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico, juntamente com Thiago Ávila, Érika Oliveira e Pedro Felipe, também estudantes, se juntaram em manifestação na defesa da população que compunha a ocupação. Momento em que o(a)s mesmo(a)s foram detidos e levados à instituição policial.


O(A)s estudantes já foram liberado(a)s, mas manifestamos nosso total repúdio à ação da polícia que implementa a perseguição como forma de coibir a luta daqueles e daquelas que tem o compromisso de não se calar diante das atrocidades vividas na sociedade brasileira. Tais absurdos devem ser denunciados, pois é evidente que o Estado visa utilizar sua força policial para prender e perseguir a(o)s que seguem defendendo a justiça social!


O ANDES-SN, vem, por meio dessa nota, prestar toda solidariedade a(o)s estudantes detido(a)s, e declara apoio ao legítimo e necessário movimento pela moradia e dignidade da população em vulnerabilidade social na capital federal, bem como em todo Brasil.

Total repúdio à criminalização e à perseguição dos movimentos sociais, estudantil e docente!


Não nos calarão!

Fora Bolsonaro!

Fora Mourão!


Brasília(DF), 13 de abril de 2021