Literatura, saúde e cultura: evento coloca em debate temáticas da população negra

Atualizado: Jan 29



O evento "Território Negro: Arte, Cultura e Política Preta", realizado pela POPNegra com o patrocínio da ADUnB, aconteceu na última sexta (29) na UnB, com o objetivo de colocar em debate questões sobre a saúde da população negra e literatura feita por escritoras negras. Além do debate, as oficinas produziram cartazes para a divulgação dessas temáticas na universidade.


Em “Literatura: Escrevivências’, as oficineiras Zane Nascimento e Hellen Rodrigues falaram sobre a literatura feminina negra a partir do trabalho da escritora Conceição Evaristo. A oficina se baseia na categoria política escrevivência, cunhada por Evaristo, que diz: "escrever e publicar é um ato político para nós [negras/os] e precisamos jogar isso na cara de quem está aí para confrontar". Nascimento e Rodrigues trabalham a partir da obra da escritora para dar voz a atuais escritoras negras: “Tentamos incorporá-la (Evaristo) dentro do movimento da literatura negra feminina. Trabalhamos com autoras vivas, pois uma das dificuldades das mulheres negras vivas é publicar. Mesmo nas mídias sociais percebemos que há um silenciamento (sobre a literatura negra feminina)”, explicou.


Já a professora e historiadora Marjorie Chaves discorreu sobre a saúde da população negra, abordando as doenças genéticas acometidas na população negra, além daquelas que acontecem como consequência das desigualdades raciais. Falou, por exemplo, sobre os indivíduos que moram em regiões de conflito. “Em favelas onde existe ocupação, UPPs, onde há conflito com traficantes, as pessoas têm dificuldades de desenvolver bem o lado social e psicológico. Isso influencia, de fato, na saúde dessa população”.

Em sua fala, a historiadora ressaltou o aumento do suicídio de jovens negros “Dentro da UnB não é diferente, tem acontecido muitos casos de suicídio. Os meninos precisam de apoio, de respaldo por estar em um ambiente que não está preparado para recebê-los”, explicou. Segundo dados do Ministério da Saúde de junho, a cada dez jovens de 10 a 29 anos que cometem suicídio, seis são negros. Marjorie Chaves é historiadora e professora das disciplinas Cultura, Poder e Relações Raciais e Teoria Política Feminista na UnB.


As oficinas aconteceram no auditório da Sintfub, contaram com certificação e os cartazes produzidos nas oficinas serão divulgados nos campi da UnB. O evento contou ainda com programação cultural na praça Chico Mendes.


A POPNEGRA é um observatório da saúde da população negra do Núcleo de Estudos de Saúde Pública da UnB (NESP/UnB).


Clique abaixo e veja as fotos em nosso Flickr:



Posts recentes

Ver tudo

Links Úteis

Assessoria de Comunicação

De 9h às 18h, de segunda à sexta-feira.

acs@adunb.org.br

(61) 98280 0418