Diretoria do ANDES-SN assume gestão com compromisso pela educação pública


O 10º Conad Extraordinário, realizado nesta terça-feira (1/12), deu posse à nova diretoria do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) para o biênio 2020-2022 (veja abaixo a composição).


Em decorrência da pandemia de Covid-19, o encontro teve participação remota de membros da União Nacional do Estudantes (UNE), Fasubra Sindical, Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), da CSP-Conlutas, entre outras entidades.


Rivânia Moura, a nova presidente do ANDES-SN, parabenizou a diretoria anterior pelo enfrentamento à política de desmonte das universidades públicas e comprometeu-se a fazer uma gestão de luta contra o racismo, o machismo, a lgbttifobia e o sexismo. "A luta sindical, assim como nosso projeto de educação, precisa cada vez mais fortalecer o combate às opressões. Somos a primeira gestão do ANDES Sindicato Nacional com paridade de gênero em sua composição", destacou a presidente, completando que a paridade deve ser "efetiva, concreta e materializada em todas as ações do ANDES".


A presidente defendeu a educação pública, gratuita, laica e socialmente referenciada e apontou o enfrentamento ao projeto de educação mercadológica como um dos principais desafios do sindicato. "A defesa do financiamento público para a educação pública precisa ser intransigente", afirmou Rivânia Moura.


A Reforma Administrativa foi rechaçada em seu discurso de posse. A presidente ressaltou o impacto negativo para a classe trabalhadora e a consequente precarização dos serviços públicos. "É preciso enfrentar o governo Bolsonaro de pé, de cabeça erguida e com muita coragem", afirmou.


Luiz Araújo, 2º vice-presidente da ADUnB e 3º vice-presidente do ANDES-SN, falou à ADUnB sobre o desafio de aproximar as seções sindicais do sindicato nacional, e frisou que nesse processo é fundamental a valorização dos debates da base.


Em relação às lutas nacionais, "Os desafios são imensos e requerem articulação nacional rápida", afirmou Araújo. "Temos um governo que despreza a ciência, que quer fazer uma reforma administrativa que piora e precariza nosso trabalho. Em 2021 enfrentaremos cortes orçamentários, o desafio do retorno e de garantir condições de trabalho. São lutas que exigem um trabalho conjunto e articulado. Só assim conseguiremos força suficiente para conquistar direitos ou impedir retrocessos e, para isso, é preciso um ANDES forte, participativo e enraizado na base", disse o professor.


Publicações lançadas

Foram lançadas, durante o 10º Conad Extraordinário, o livro "Universidade, Ciência e Classe numa era de crises" e a Cartilha da Comissão da Verdade do ANDES-SN: "Relatório Final da pesquisa: A Ditadura Empresarial - Militar nas Universidades Públicas Brasileiras".


Composição da diretoria


PRESIDENTE

Rivânia Lucia Moura de Assis (UERN)

1º VICE-PRESIDENTE

Milton Pinheiro (UNEB)

2ª VICE-PRESIDENTE

Zuleide Fernandes de Queiroz (URCA)

3º VICE-PRESIDENTE

Luiz Araujo (UnB)

SECRETÁRIA GERAL

Maria Regina de Avila Moreira (UFSC)

1º SECRETÁRIO

Rodrigo Medina Zagni (UNIFESP)

2ª SECRETÁRIA

Francieli Rebelatto (UNILA)

3º SECRETÁRIO

Luiz Henrique dos Santos Blume (UESC)

1º TESOUREIRO

Amauri Fragoso de Medeiros (UFCG)

2ª TESOUREIRA

Sirliane de Souza Paiva (UFMA)

3ª TESOUREIRA

Jennifer Susan Webb Santos (UFPA)