Dia do/a Professor/a


Nos seus 43 anos de história, a ADUnB- S. Sind. carrega a marca da luta em defesa dos direitos da categoria docente. A história da ADUnB-S. Sind. faz parte da própria história da Universidade de Brasília, uma construção conjunta de lutas em defesa da educação pública, laica, de qualidade socialmente referenciada. Luta de coletivos que têm como propósito comum o acesso a direitos pela população brasileira.


Ao longo dos anos, a categoria docente atua na resistência à ditadura, ao desmonte da Universidade Pública e à retirada de direitos tanto da categoria docente quanto dos direitos de técnicos e técnicas administrativos/as e dos/as estudantes. Resistimos contra as perseguições. Resistimos coletivamente, porque assim nos tornarmos mais fortes, assim nos tornamos educadoras e educadores exercendo o papel de transformar a sociedade.


Nos mobilizamos, nos movemos, nos articulamos pelas ruas, pelos corredores, pelas salas de aula, pelas assembleias, atos e passeatas, porque nos fazemos educadoras e educadores em movimento e em todos os espaços políticos. Estamos enfrentando muitos desafios diante da situação política e sanitária de nosso país. Ataques à educação pública, com sucateamento da pesquisa e do desenvolvimento tecnológico, da arte e da cultura, cortes de recursos inclusive para a assistência estudantil, além de perseguição aos e às docentes. Mas nos mantemos mobilizados, em luta constante


A pandemia nos colocou muitos outros desafios. O trabalho remoto emergencial, que impôs uma rotina exaustiva de trabalho, que nos obrigou a tantos novos aprendizados para lidar com as plataformas virtuais e com a sobrecarga de trabalho docente que tem resultado, em muitos casos, em adoecimento e exaustão. Mas ainda assim lutamos pela vacinação para todos e para todas, num ato de solidariedade de classe e compromisso social. Lutamos em memória dos que tombaram pela covid 19.


A PEC 32/2020, que trata da Reforma Administrativa, ameaça a nossa carreira, a nossa estabilidade, as nossas condições de trabalho, já precarizadas. Mas nos mantemos firmes e presentes em todos as lutas que precisam ser travadas frente a desafios tão grandes e sérios, que reforçam a importância da nossa união como categoria docente e o fortalecimento da ação sindical.


Neste dia 15 de outubro não é diferente: estamos aqui para comemorar o Dia do/a Professor/a, ressaltar o papel que estes e estas profissionais assumem, mesmo em condições adversas, como educadores e educadoras, como sujeitos políticos pela construção de um mundo mais justo, mais igual, sem racismo, sem sexismo, sem homofobia, formando sujeitos críticos.


Temos que brindar àqueles e àquelas que fazem da sua profissão o desafio da resistência, desafio de educar, desafio de persistir. Apesar de tudo isso, continuamos cumprindo com nossas tarefas de ensino, de pesquisa, de extensão e de gestão, fortalecendo a compreensão de universidade pública, gratuita e inclusiva, em constante diálogo com a sociedade e em defesa da nossa liberdade de pensamento e prática.


A ADUnB-S. Sind. saúda os e as docentes pelo seu dia, porque é preciso reconhecer que a UnB é feita de gente que luta, que resiste, que se mobiliza, mas também que educa, que pesquisa, que dialoga com a sociedade, com as comunidades, com os movimentos populares. No ano do centenário de Paulo Freire – e de muitos desmontes –, a educação torna-se a estrutura que sustenta a esperança e a construção de dias melhores.


Assista ao vídeo que produzimos, aqui.