Comunicado ao CEPE sobre resolução que trata do retorno das atividades de ensino.

Atualizado: Jul 16


A ADUnB encaminhou ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade de Brasília (CEPE) um comunicado com recomendações sobre a resolução do CEPE, de 09 de julho de 2020, que trata do retorno remoto das atividades de ensino. As considerações foram aprovadas hoje (15), por ampla maioria, pelos professores e professoras que integram o Conselho de Representantes (CR).


O documento recomenda que os membros do CEPE reexaminem a minuta da resolução no sentido que a data de retorno seja definida depois que três condições sejam atendidas: a análise dos dados da pesquisa pelos colegiados de cada departamento e instituto, seguido de parecer sobre suas condições de retorno; a demonstração concreta e evidente de que as medidas tomadas para a garantia da acessibilidade de todas e todos estudantes a equipamentos e redes, necessários ao ensino remoto serão capazes de efetuar-se de forma segura e para todo o período em que durar a forma remota de ensino; e que esteja demonstrado que ao menos 80% dos docentes já realizaram os cursos necessários à oferta das disciplinas com uma qualidade mínima necessária ao aproveitamento dos estudos.


No documento, o CR destaca que o slogan proposto pela própria Universidade de ‘Não deixar ninguém para trás’ não deve ser esvaziado por decisões açodadas que não refletem a responsabilidade que o corpo docente de uma Universidade do porte da UnB deve ter para com a qualidade do ensino ofertado e para com a equidade de acesso a todas e todos estudantes.


O CEPE discutirá em reunião, nesta sexta (17), a resolução sobre o retorno não presencial das atividades do calendário acadêmico do 1º/2020 na UnB. O conselho também debaterá a data de encerramento do semestre.


Leia o documento completo:


Brasília, 15/07/2020


Senhoras e Senhores membros do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade de Brasília (CEPE),


A ADUnB - Associação de Docentes da Universidade de Brasília, Seção Sindical do ANDES Sindicato Nacional, por meio do seu Conselho de Representantes, composto por docentes, escolhidos por seus pares em cada Unidade Acadêmica da UnB, reunido extraordinariamente no dia 15 de julho de 2020 para análise da resolução do CEPE, de 09 de julho de 2020, que trata do retorno remoto das atividades de ensino, resolveu, por ampla maioria, enviar às senhoras e senhores as seguintes considerações e recomendações.


Considerando que o retorno remoto das atividades de ensino na graduação e pós-graduação na Universidade de Brasília deve garantir uma qualidade mínima, condizente com sua posição de excelência no cenário nacional;


Considerando que os departamentos e institutos ainda não tiveram tempo hábil para examinar os dados produzidos na pesquisa social e melhor planificarem seus retornos;

Considerando que a pesquisa social envolvendo os três segmentos da comunidade acadêmica sobre as condições sociais e de acessibilidade virtual, que atingiu em torno de 50% do público alvo mostra uma realidade preocupante em relação ao número de estudantes sem condições adequadas de seguir cursos remotos;


Considerando que há um inevitável viés na pesquisa social realizada, uma vez que a consulta também utilizou a via virtual para o contato, sendo legítimo estimar que entre os 50% que não responderam encontra-se a maior parte dos estudantes com dificuldades de acesso, estando, portanto, significantemente subestimado o número, já preocupante, de estudantes sem condições de seguir os cursos;


Considerando que o número de estudantes sem condições de acesso e de professores capacitados para o ensino remoto varia de departamento para departamento e entre os diversos campi;


Considerando que os problemas que podem advir do reinício do semestre, sem que estejam garantidas as condições de continuidade por todas e todos estudantes, ultrapassam a questão de trancamentos ou abandono e podem forçar estudantes a procurar acesso digital em lugares públicos, expondo-se a maiores riscos de contaminação em uma cidade onde a taxa de transmissibilidade do covid 19 é crescente;


Considerando que também para os professores existem questões a considerar para o ensino virtual que envolve, além da capacitação, equipamentos de informática adequados, gastos com manutenção dos mesmos e com ampliação de banco de dados para acessibilidade, moradias em locais onde há instabilidades de conexão e de fornecimento de energia, entre outros problemas;


Considerando que a capacitação docente para o ensino remoto não se resume a treinamento de plataformas e simples transposição de planos de ensino da forma presencial para remota, mas envolve sim domínio de estratégias pedagógicas próprias para modalidade;


Considerando que alguns dos artigos apresentados na resolução para disciplinamento das atividades remotas de ensino tem sido consideradas como comprometedoras da liberdade de cátedra;


Considerando que a presente mobilização para oferta de ensino remoto deve limitar-se, exclusivamente ao âmbito de ações emergenciais em função do isolamento social provocado pela pandemia, haja vista as intenções já declaradas do atual governo, em reduzir o ensino presencial nas universidades, limitando o número de cargos de professores e facilitando a privatização das Instituições Federais de ensino superior.


Recomenda:


Que os membros do CEPE reexaminem a minuta de resolução proposta ao CEPE pela sua presidência (Vice-Reitoria), com o fito de seguir no processo de preparação das condições para o retorno em data definida depois que ao menos três condições objetivas tenham sido atendidas, a saber:


1 Análise dos dados da pesquisa pelos colegiados de cada departamento e instituto, seguido de parecer sobre suas condições de retorno;


2 Demonstração concreta e evidente de que as medidas tomadas para a garantia da acessibilidade de todas e todos estudantes a equipamentos e redes, necessários ao ensino remoto serão capazes de efetuar-se de forma segura e para todo o período em que durar a forma remota de ensino;


3 Que esteja demonstrado que ao menos 80% dos docentes já realizaram os cursos necessários à oferta das disciplinas com uma qualidade mínima necessária ao aproveitamento dos estudos.

As considerações e recomendações aqui propostas pelo Conselho de Representantes da Associação de Docentes da Universidade de Brasília, vem no sentido de que o slogan proposto pela própria Universidade de “ Não deixar ninguém para trás” seja esvaziado por decisões açodadas que não refletem a responsabilidade que o corpo docente de uma Universidade do porte da UnB deve ter para com a qualidade do ensino ofertado e para com a equidade de acesso a todas e todos estudantes.

Respeitosamente,


ADUnB - Associação de Docentes da Universidade de Brasília, Seção Sindical do ANDES Sindicato Nacional

Posts recentes

Ver tudo

Links Úteis

Assessoria de Comunicação

De 9h às 18h, de segunda à sexta-feira.

acs@adunb.org.br

(61) 98280 0418