Assembleia Geral Ordinária, 02/02/22


Foi realizada na tarde de hoje (02), de forma virtual, via plataforma Zoom, em função da pandemia do novo coronavírus, Assembleia Geral Ordinária da ADUnB, tendo à mesa-diretora o Prof. Jacques de Novion, a Profª Daniela Garrossini e Profª Ariuska Amorim, respectivamente, presidente, vice-presidenta e secretária-geral deste sindicato.


O presidente da ADUnB abriu a Assembleia manifestando anseio pelo retorno à normalidade da rotina universitária, bem como lamentando as milhares de vítimas da pandemia da covid-19. Na sequência, abriu a votação para aprovação de pauta, conforme a seguir: 1) Informes; 2) Conjuntura/Agenda de mobilização nacional para campanha salarial - adesão à greve geral dos/as servidores/as públicos/as; 3) 40º. Congresso do ANDES – Sindicato Nacional – eleição de delegados/as; 4) Outros assuntos. Por unanimidade, e sem abstenções, a pauta foi aprovada.


Informes


A diretora Ariuska deu início aos informes citando o fortalecimento, pela atual diretoria, da comunicação da ADUnB, e reportou alguns exemplos: em 2021, uma campanha extensa e variada (textos, vídeos, cards etc) contra a reforma administrativa foi realizada, o que, paralelamente à luta conjunta com outras entidades sindicais e movimentos, imputou uma derrota aos aliados do governo na Câmara dos Deputados para aprovação da PEC 32. Também destacou criação do programa Diálogos ADUnB, veiculado semanalmente pela TV Comunitária, os artigos que têm sido produzidos para a coluna da ADUnB no jornal Brasil de Fato-DF, a criação do semanal Boletim ADUnB, produzido de forma online e para mailing, compilando os principais fatos da semana, e o aprimoramento do trabalho de comunicação nas redes sociais.


A vice-presidenta Daniela reportou o desenvolvimento do novo site, que poderá estar concluído até março próximo, destacando aprimoramentos tanto nas sessões informativas, para o público em geral, quanto no que se refere à comunicação interna, com os/as associados/as, ampliando a prestação de serviços.


O professor e diretor José Carlos Balthazar atualizou os/as associados/as participantes sobre a questão do plano de saúde, reportando que a ADUnB segue aguardando a licitação, pela reitoria da UnB, para definir a empresa que proverá esse benefício à categoria. A respeito das notícias sobre possível venda da AMIL, tranquilizou a todos/as informando que, em se concretizando tal venda – ainda no território da mera especulação midiática –, os contratos serão imediatamente transferidos para a empresa compradora, e que a assessoria jurídica da ADUnB dará toda assistência necessária nesse eventual processo.


A professora e diretora Patrícia deu informes sobre o Comitê UnB pela Vacinação, no qual representa a ADUnB, reportando que, desde o início de suas atividades, já realizou 26 plenárias, 30 reuniões de coordenação, além de lives com especialistas da área da saúde, e tudo pode ser acessado nos perfis do Comitê nas redes sociais. No momento, seus mais de 130 inscritos analisam a necessidade de atualização das atividades do Comitê e estão abertos a sugestões que poderão ser feitas em seus canais de comunicação.


A associada e professora Liliane Machado manifestou acreditar que a ADUnB empenhou-se pouco na questão dos reajustes dos aluguéis de imóveis da universidade locados por docentes, e que também gostaria de entender por que a reitoria da UnB tem protelado tanto a licitação dos planos de saúde, queixas compartilhadas pelo associado e professor Marcelo Mari, que destacou não achar justo a UnB reajustar os aluguéis para uma categoria sem reajuste salarial, e ainda adotando como parâmetro de reajuste valores do mercado imobiliário.


O diretor Balthazar respondeu sobre as questões relativas ao plano de saúde, dizendo acreditar que não só a condução desse processo tem sido lenta por parte da UnB, como a sua comunicação tem sido insuficiente. Destacou que a ADUnB tem feito cobranças regulares de respostas para a questão, mas sem retorno satisfatório.


O presidente Jacques respondeu às questões relativas aos imóveis da UnB lembrando que a ADUnB participou de todas as reuniões realizadas para discutir o assunto, mas, infelizmente, prevaleceu a decisão da Administração. Tanto Balthazar quanto Jacques ressaltaram que não basta cobrar a ADUnB, há que se cobrar, também, a reitoria.


Finalizando os informes, como alerta aos e às colegas, a associada e professora Alejandra Pascual relatou que sua conta bancária na agência do Banco do Brasil no campus Darcy Ribeiro foi invadida, resultando em prejuízo.


Conjuntura/Agenda de mobilização nacional para campanha salarial - adesão à greve geral dos/as servidores/as públicos/as


O presidente Jacques historiou as ações da ADUnB na luta contra a precarização da carreira e em favor dos docentes: participação em todos os atos contra a PEC 32 e demais ataques empreendidos pelo governo, obrigando aliados de Bolsonaro na Câmara dos Deputados a adiar a votação da reforma administrativa; entrevistas para meios de comunicação (impressos e audiovisuais), colocação de outdoors, campanhas de comunicação; ampliação das lutas, no último ano, de acordo com o calendário do Fonasefe; participação em plenárias distritais; mobilização da categoria e de parlamentares; pressão junto a governadores e prefeitos.


A seguir, apresentou o calendário de ações e mobilizações pactuado no Fonasefe, o qual propõe que, em fevereiro, se articule diálogo com o governo e com o judiciário, reivindicando um reajuste de 19,99% para a categoria docente, e, não havendo avanço nesse sentido, construção de uma greve de todo o serviço público para o dia 9 de março.


Na sequência, a Dra. Larissa Rodrigues, da assessoria jurídica da ADUnB, fez uma detalhada apresentação das perdas salariais da categoria, resultado de um minucioso trabalho realizado pelo DIEESE e ADUnB, de modo a ajudar na mobilização da categoria para a luta por seus direitos. Breve, encaminharemos o vídeo desta apresentação para todos/as associados/as.


Terminada a apresentação, aberto o espaço para proposições dos participantes, o associado e professor Luiz Antônio Pasquetti propôs unidade de toda a categoria com as demais categorias de servidores, seja para o diálogo com o governo e o judiciário, seja para mobilização de uma greve. Também propôs que todos e todas docentes participem da mobilização da categoria. Proposta parecida fez a associada e professora Lúcia Lopes, para quem a categoria deve dialogar também com a sociedade, mostrando que a luta da categoria não é corporativista, pois precarizar o serviço público implicará na perda de direitos de todos.


Encaminhamentos


O presidente Jacques, após acolher todas as sugestões, que incluíram a mobilização imediata para a greve, propôs cumprimento do calendário pactuado com as demais entidades no Fonasefe: primeiro, a tentativa de diálogo, não havendo tal possibilidade, construção e mobilização de greve. Aprovou-se também a realização de nova Assembleia Geral da ADUnB dia 23 de fevereiro para debater a conjuntura e definir pela adesão ao Estado de Greve, e, no dia 07 de março, Assembleia Geral para deliberação da entrada da UnB na Greve Nacional Unificada dos Servidores Públicos. Destacou-se a necessidade de que as Unidades e departamentos façam debates para aprofundar o tema com a categoria docente e assim ampliar a mobilização.


40º Congresso do ANDES – Sindicato Nacional / eleição de delegados/as


A diretora e professora Eliene Novaes apresentou como será a participação da ADUnB no 40º Congresso do ANDES – Sindicato Nacional, a realizar-se de forma presencial entre 27/03/2022 e 01/04/2022, em Porto Alegre (RS), depois explicou os critérios para eleição dos delegados e delegadas, observadores e observadoras. Isso feito, teve início a votação, e os associados e associadas elegeram os seguintes colegas (ordem meramente alfabética): Alejandra Pascual, Clarice dos Santos, Daniela Garrossini, Dulce Rocha, Eliene Novaes, Elizabeth Costa, Erlando Rêses, Manoel Andrade, Liliane Machado e Luis Antônio Pasquetti. Para observadores, Caroline Gomide e Thiago Melo.


Outros assuntos


Antes de encerrar a sessão, o presidente Jacques registrou as propostas de debate para a próxima Assembleia: participação da ADUnB no movimento “Revogaço das Leis Trabalhistas” e intensificação do debate com a reitoria para as condições do retorno de forma presencial.