Assembleia Geral aprova Estado de Mobilização e Vigilância Permanente contra o retorno presencial

Atualizado: Fev 13

Os(as) docentes aprovaram, ainda, o apoio à vacinação de estagiários da Saúde e agenda de lutas. Com a participação de 56 docentes, a AG foi dedicada aos professores Luis Humberto Pereira e Miroslav Milovic, falecidos na semana.


A Assembleia Geral Virtual da ADUnB - Seção Sindical realizada na manhã desta sexta (12/2), aprovou o Estado de Mobilização e Vigilância Permanente frente a possibilidade de retorno presencial das aulas e um manifesto em solidariedade aos(às) docentes da Educação Básica e Superior que foram obrigados a retornar. Seções Sindicais de diversas IFES estão realizando assembleias no país para debater a necessidade da realização de greve sanitária.


“O aumento da pressão para que as escolas sejam reabertas e as aulas voltem de forma presencial, mesmo sem as mínimas condições de segurança sanitária, atende aos interesses econômicos de setores que querem manter a normalidade das atividades, mesmo diante do agravamento da pandemia no País. Um ato criminoso, uma vez que a falta de imunização da população vai fazer do espaço escolar lugar propício para disseminação do vírus, não só colocando a comunidade escolar em risco de morte, mas podendo levar ao colapso hospitalar em muitas regiões”, diz a nota aprovada. Professores(as) da Educação Básica do Estado de São Paulo e Rio de Janeiro já declararam greve sanitária em defesa da vida e imunização de todos e todas. Leia aqui o manifesto da ADUnB.


Os(as) docentes aprovaram também a participação em calendário de lutas organizado por movimentos sociais, sindicatos e organizações nacionais e do Distrito Federal com objetivo de lutar por Fora Bolsonaro, garantir a vacinação para todos(as) além das medidas sanitárias, o fortalecimento do SUS e a volta do auxílio emergencial e empregos à população.

“Já temos mais de 236 mil mortos. A incerteza sobre a imunização e vacinação, a ausência de insumos e de vacinas nos preocupa”, disse o presidente da ADUnB, Jacques de Novion. Para ele, há uma continuidade na agenda de desmonte do Estado e da soberania nacional e cita projetos em pauta no Congresso Nacional que exigem a atenção e luta da categoria, como a Reforma Administrativa, a HomeScooling, a redução de salários de servidores, a autonomia do Banco Central, além do plano de privatizações.


“São projetos que vão de medidas econômicas a pautas de costumes. Essa realidade exige a nossa atenção, pois estamos frente a uma agenda que marca a necessidade da luta em defesa da vida, seja causada pelos problemas de saúde pública, seja por essa agenda ultra neoliberal que o governo tenta emplacar”, declarou.


A ADUnB participará das ações organizadas pela Frente Brasil Popular no DF com o seguinte calendário de lutas: de 07 a 20/02 Rodadas de debates nos setores; 21/02, Grande Carreata Nacional Fora Bolsonaro e em Defesa da Vida e 08/03, Atividades virtuais pelo dia da mulher e em defesa da vida.


Ainda em defesa da vida e da saúde pública, a Assembleia aprovou uma nota que pede à Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF a revisão imediata da medida adotada para que seja retomada a vacinação dos estudantes estagiários discentes da UnB e de outras instituições que atuam como parte das equipes multiprofissionais responsáveis pela atenção aos pacientes. Leia a nota aqui


Informes


Durante os informes, a diretoria da ADUnB apresentou o trabalho desenvolvido para a organização de gestão do sindicato, dividida pelos eixos: Eixo 1 - Organização e espaços de participação da categoria; Eixo 2 - Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora, especialmente da categoria docente; Eixo 3 - Atuação na política nacional (em defesa da categoria + defesa da educação e da universidade); Eixo 4 - Gestão Interna e Eixo 5 - Comunicação.


A diretoria informou ainda que a ADUnB dá continuidade, junto ao Sintfub e o DCE, ao Comitê em Defesa da UnB e divulgou a criação do Comitê Pró-vacinação da UnB - espaço político-organizativo para o engajamento da comunidade universitária na luta contra a desinformação e pelo direito à saúde e à vida - formado pelas mesmas entidades. Foi destacada, ainda, a atuação da ADUnB na criação de uma Frente Distrital de Educação.


Plano de saúde


Em relação à atuação da Seção Sindical na elaboração do Plano de Saúde para os servidores da UnB, a diretoria informou que a ADUnB, o SintFub e gestores da Reitoria têm trabalhado para auxiliar e dar celeridade ao processo. De acordo com a dirigente Daniela Favaro Garrossini, o comitê está analisando modelos e formatos possíveis em relação aos recursos financeiros, redes de atendimento e planos nacionais. O diretor Alexandre Bernardino Costa destacou que as entidades atuam para que a universidade possa ofertar um plano de saúde mais barato e com qualidade adequada e que em breve poderão dar mais informações.

Posts recentes

Ver tudo

Links Úteis

Assessoria de Comunicação

De 9h às 18h, de segunda à sexta-feira.

acs@adunb.org.br

(61) 98280 0418