A memória seletiva de Milton Ribeiro para a volta às aulas presenciais



O ministro da Educação, Milton Ribeiro, saiu de férias no último dia 19. Antes, deixou gravado um vídeo, veiculado na noite de ontem (20), apelando pela urgência da volta às aulas presenciais e dizendo que a vacinação da comunidade escolar não pode ser condição para retorno às aulas presenciais. Para o ministro pastor, bastam o uso de máscaras e de álcool em gel e a adoção do distanciamento social, “como já fizeram outros países, com sucesso”.


Ribeiro, no entanto, lembrou-se de esquecer de citar que tais países, antes, garantiram a vacinação para a maioria de suas populações, ao contrário do Brasil, que ainda não vacinou nem sequer 17% da população com uma ou duas doses contra o coronavírus.


Ribeiro também responsabilizou estados e municípios pela não reabertura de instituições de ensino, pois, “se dependesse do Governo Federal, já teria feito”.

De novo, o titular do MEC lembrou-se de esquecer que é um dever constitucional da sua pasta apoiar as secretarias municipais e estaduais de Educação, que concentram as matrículas para o ensino em todos os níveis, e que, em um país com as dimensões e a diversidade do Brasil, vivem e enfrentam a pandemia de formas diferentes – e que, até hoje, não tiveram do governo que Ribeiro integra um plano nacional de enfrentamento da pandemia.


A legislação prevê autonomia de municípios e estados no calendário das escolas em suas regiões, de forma que, quando voltar de suas férias, o ministro pastor pode e deve se concentrar na efetivação da mais urgente das medidas a serem adotadas para garantir um retorno às aulas presenciais seguro para professores/as, trabalhadores/as da Educação, alunos/as e seus familiares: vacina no braço, e enquanto a comunidade escolar não recebê-la, pode, ainda, empenhar-se pelo acesso à internet para alunos/as e professores/as sem acesso a ela.


Culpar sempre os outros, atacar profissionais da Educação e da Ciência, qual faz o seu presidente, tem funcionado somente para fanáticos, mostram todas as pesquisas.