A Educação nas mãos de um fundamentalista religioso

A mentalidade de um ministro pastor que anseia por uma teocracia

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, mostra desrespeito à pasta que administra.


Em discurso na comissão de Educação para discutir orçamento e investimentos no setor, Milton disse que custear o ENEM é muito caro para o país, da mesma forma que investir R$ 3,5 bilhões em acesso à internet grátis para alunos e professores que, por negligência do governo, ainda não foram vacinados, então precisam ficar em casa para permanecer em segurança frente aos riscos da covid-19.


O ministro ainda mente, dizendo que não há "tribunal ideológico", quando determina que questões que não fossem técnicas, tais como raça, gênero, lgbqiap+ e demais diversidades, fossem, segundo ele, “aconselhadas” a ser retiradas do Exame.


Para o ministro pastor do governo Bolsonaro, mais importante do que garantir direito à vida de professores e alunos é custear R$ 100 milhões por mês no orçamento da Educação com a TV Olavo de Carvalho, para ser mais um canal de desinformação e fake news difundidas por esse governo.