1968, hoje?!

Repúdio ao ato autoritário da prisão de manifestantes contrários a Bolsonaro


A ADUnB manifesta repúdio e preocupação em relação ao ato autoritário da prisão dos manifestantes na Praça dos Três Poderes, em Brasília, nesta quinta (18/3), que estenderam uma faixa em protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido/RJ). Na faixa estava escrito “Bolsonaro Genocida”, em menção às mais de 280 mil mortes já provocadas pelo descaso do presidente no enfrentamento da pandemia.


De acordo com órgãos de imprensa, eles foram encaminhados para a Polícia Federal e os manifestantes foram ameaçados de ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional, resquício da ditadura civil e militar de 1964 ainda presente em nossa Constituição Federal.


Entre os manifestantes presos até agora foram identificados Rodrigo Pilha e Rogério Martins.


Ainda segundo os jornais, deputados(as) federais, dentre eles Alencar Santana Braga (PT-SP), Natália Bonavides (PT-RN), Paulo Pimenta (PT-RS) e Erika Kokay (PT-DF), foram até a sede da PF.


Ao usar a Lei de Segurança Nacional, Bolsonaro tenta intimidar seus opositores e críticos, remetendo á perseguição feita na recente ditadura brasileira.


Faixa usada na manifestação.