11º CONAD: docentes priorizam a mobilização contra a Reforma Administrativa e pela vacinação

Com o tema central “Em defesa da vida, dos serviços públicos e da democracia e autonomia do ANDES-SN", o CONAD extraordinário terminou neste sábado (3).


Delegados (as) do 11º CONAD Extraordinário decidiram priorizar a mobilização da categoria nas pautas de luta pela vacinação e contra a Reforma Administrativa e não definiram data ou formato para um próximo Congresso ANDES-SN. No final da matéria, veja as moções encaminhadas pelas Seções Sindicais e diretoria do ANDES-SN.


O dia foi marcado pelos debates de construção da pauta de lutas. As preocupações estavam centradas no avanço da pandemia e da incerteza em torno da vacinação, bem como na construção da pauta de lutas e das ações do ANDES de enfrentamento e da defesa dos direitos e das conquistas, constantemente atacados pelo governo Bolsonaro.


“Devemos marcar a posição de ampla construção de unidade com todo o campo democrático e popular, com as centrais sindicais, frentes, fóruns, organizações da sociedade civil. As centralidades de luta estão na defesa da vida e na luta pela vacinação de toda sociedade pelo Sistema Ùnico de Saúde, na luta pelo auxílio emergencial de R $600, nas garantias da não demissão de trabalhadore (as), para um lockdowm nacional. Também está nas bandeiras de luta a defesa dos serviços, servidores e políticas públicas contra a destruição do Estado e da soberania nacional. Nesta perspectiva, validou-se o fortalecimento e construção, já em andamento, da Campanha Nacional contra a Reforma Administrativa e a Emenda Constitucional 109 (antes PEC 186), lançada na paralisação nacional do último dia 24 de março”, conta o presidente da ADUnB, Jacques de Novion, que participou do CONAD na condição de delegado.

Diante dos constantes ataques aos direitos dos(as) trabalhadores(as) e do aprofundamento da crise social, econômica e sanitária, apontou-se a necessidade de CONADs Extraordinários periódicos para atualizar a análise de conjuntura e as ações do Sindicato Nacional.


“Com base nessas reflexões, foi deliberado, ad referendum do próximo Congresso, a realização de Conad Extraordinários com intervalos de, no máximo, três meses, enquanto durar a pandemia, pautando a atualização da conjuntura, o plano de lutas dos Setores e as questões organizativas do ANDES-SN. E, tão logo seja possível pelas condições sanitárias, o CONAD deve deliberar sobre a realização do Congresso do ANDES-SN”, informa a assessoria do Sindicato Nacional.

Segundo o ANDES-SN, desde o último Congresso (39º), ocorrido em fevereiro de 2020, em São Paulo, aconteceram quatro CONADs Extraordinários - o 8º em julho, o 9º em outubro, o 10º em dezembro de 2020 e este 11º, entre março e abril de 2021. Todos os eventos foram realizados em formato online, via internet, devido à pandemia.

Organização e espaços deliberativos

O processo democrático de decisões nos espaços deliberativos do ANDES-SN, a ampliação da participação da categoria nas assembleias de base, reuniões dos setores e dos Grupos de Trabalho, foram pontos de debate e manifestações na reunião.

Sobre a organização do CONAD, o professor e ex-presidente da ADUnB, Luis Antonio Pasquetti, suplente da ADUnB, destacou a necessidade do aprimoramento da metodologia dos debates e decisões - o segundo dia terminou às 23h59, sem a conclusão da pauta. “Deve-se ter como centralidade as questões que afetam a nossa categoria, a sociedade e a educação pública brasileira. Embora constem na pauta, devido ao método utilizado, não há a distribuição equivalente de tempo e a importância necessários, dada a emergência desses temas”. Ele destacou ainda que posturas sectárias também prejudicaram os debates. “Neste momento, é fundamental articulações e alianças mais amplas, no campo da esquerda, para o enfrentamento do atual governo negacionista e genocida”.

Para o professor Thiago Melo, que participou na condição de observador da ADUnB, a reunião foi importante para a unificação da luta sindical. “Apesar das dificuldades de consensuar posições políticas a gente deu passos importantes no sentido de unificar bandeiras da luta sindical nesse momento, de fortalecer a ideia, o compromisso de que o movimento sindical, de que o ANDES se aproxime dos demais movimentos e frentes populares para resistir a esse descalabro, a esse genocídio da pandemia”, destacou.


O professor Pasquetti destacou ainda que a divisão do evento em dois períodos e a participação de cerca de 170 delegados e observadores foi positiva, assim como o debate sobre o Congresso do ANDES-SN e o eixo central do Plano de Lutas.

Compuseram a mesa da plenária neste sábado Luiz Araújo, 3º vice-presidente do ANDES-SN e também diretor da ADUnB, e as diretoras do Sindicato Nacional, Francieli Rebelatto, Cristine Hirsch e Edivane de Jesus.


Representando a ADUnB estavam Novion, na condição de delegado, o professor Luis Antonio Pasquetti, como suplente, e Thiago de Melo, como observador.



Moções encaminhadas ao CONAD Extradordinário


Moção 01 - Moção de Repúdio aos Assassinos da Memória - Diretoria do ANDES-SN

Moção 02 - Moção de Repúdio - Diretoria do ANDES-SN

Moção 03 - Moção de Apoio – ADUFMAT

Moção 04 - Moção de Repúdio – ADUFF

Moção 05 - Moção de Apoio à Abertura da CPI da COVID-19 - SINDUTF-PR

Moção 06 - Moção de Apoio: Amanda Fica!- ADUNIRIO

Moção 07 - Moção de Repúdio – ADUNIOESTE




Com informações do ANDES-SN