1º Fórum Nacional de Educação Superior Indígena e quilombola - resistir e permanecer!



Embora Milton Ribeiro, ministro da Educação e capacho de Bolsonaro, tente praticar seu lema de que “educação, no Brasil, é para poucos'', estudantes seguem resistindo aos ataques, cortes e sucateamento da educação pública no país.


Como parte da resistência acontece em Brasília, entre os dias 4 a 8 de outubro, o 1º Fórum Nacional de Educação Superior Indígena e Quilombola, com o tema "Os desafios do acesso e permanência de quilombolas e indígenas no Ensino Superior brasileiro". O evento conta com a participação de cerca de 700 estudantes em luta pelo direito ao acesso e à permanência nas universidades.


Garantir a permanência nas universidades é um desafio a todos estudantes de baixa renda, mas, em meio à crise que o país vive, esse direito é ainda mais ameaçado, em especial para os estudantes que dependem de políticas de assistência estudantil, tais como bolsas, moradias e restaurantes estudantis, para garantir a continuidade dos seus estudos.


Ao cortar investimentos na educação e orçamento zero para as Universidades, o governo Bolsonaro atinge a todos os estudantes, especialmente quilombolas e indígenas, pois, além da vulnerabilidade social e econômica, vivem em comunidades constantemente ameaçadas de desapropriação dos seus territórios, com índices de pobreza e exclusão maiores do que os da média nacional. Perder os auxílios estudantis a que têm direito é obrigá-los a abandonar os seus cursos.


Direito à Educação Superior


Entre as diversas atividades que fazem parto do encontro, as mesas de debate terão como pauta central, em sua maioria, a presença indígena e quilombola nas universidades e o direito à permanência destes povos no ensino, na pesquisa e na extensão das Instituições de Ensino Superior no Brasil. A luta é para que as políticas de permanência possam continuar em vigência, garantindo a estes povos o acesso à educação pública de qualidade e gratuita.


A luta dos estudantes indígenas e quilombolas é a luta de todos que defendem a Educação Pública e gratuita para todos e todas. A ADUnB apoia política e financeiramente esta importante iniciativa.


Os estudantes encontram-se acampados na Funarte, em Brasília, e necessitam de doações, como água e alimentos. Para ajudar, basta enviar um PIX pelo número (091) 98352-7007 e (092) 9 9998-2326. Para participar do evento, acesse o link: https://www.even3.com.br/FNEISQ2021.